O solo

O solo é um espaço de vital importância para o desenvolvimento das nossas plantas. É onde nascem, crescem e se multiplicam a maioria das espécies vegetais existentes na natureza. O solo é, talvez, a matéria-prima mais importante, a seguir à água. É constituído por dois ingredientes, matéria orgânica e matéria inorgânica.

A matéria orgânica é formada por distintos tipos de organismos como raízes vegetais, incestos, bactérias e fungos simbióticos, juntamente com restos animais e vegetais em decomposição, vulgarmente denominados por húmus.

A matéria inorgânica provém de rocha erudita, sendo portanto, o resultado da lenta degradação da rocha mãe, produto de processos físicos e químicos, que resultam em diversas formas e tamanhos.

Os diferentes solos têm diferentes quantidades de húmus e de substâncias rochosas. Os diferentes tipos de rochas poderão alterar a característica do solo quanto à sua acidez podendo também variar consoante o tamanho das partículas rochosas.

Os solos diferem na sua capacidade de fornecer nutrientes às plantas. Um solo fértil é aquele que é capaz de fornecer à planta os nutrientes em quantidades e proporções adequadas ao seu bom crescimento e desenvolvimento. Não basta que um solo seja fértil, é necessário que seja produtivo, isto é, que possa dar origem a bons desenvolvimentos, já que podem haver solos férteis que não são produtivos. Por exemplo, um solo fértil onde falta a água não é produtivo pelo que a rega é fundamental.

Como é constituído o solo

O solo é formado por vários materiais que lhe conferem propriedades características, segundo a maior ou menor quantidade em que se encontram presentes. No solo há sempre:

  • Matéria inorgânica como o areão, a akadama, o kyriu, a kanuma, argila expandida, etc.
  • Matéria orgânica como o húmus, a turfa ou o adubo orgânico
  • Ar
  • Água

Matéria inorgânica

A matéria inorgânica é formada por:

Akadama : argila vulcânica procedente do Japão, que como medida asséptica recebe um tratamento de cozedura a 300º C, durante 50 minutos. Retém água e nutrientes, tendo um Ph ligeiramente ácido. Apresenta uma textura granulada.

Kyriu : Solo de origem vulcânica japonês, bastante duro o que lhe reduz a capacidade de retenção de água e nutrientes em relação ao Akadama, tornando-o assim ideal para aumentar a drenagem das misturas de solo e para uso em Coníferas e espécies que requerem alta drenagem.

Areão : são partículas esféricas, sendo as mais apreciadas as de procedência fluvial, nomeadamente a sílica. Não retém nutrientes minerais nem água. Facilita o arejamento do solo e a penetração das raízes.

Terra Vulcânica : partículas de estrutura irregular e distintas tonalidades. Aumentam a porosidade e a drenagem. Retém água e nutrientes mantendo uma nula atividade química.

Kanuma : terra ácida procedente do Japão, que mantém uma boa capacidade de humidade e drenagem. É um componente essencial para o solo das azáleas e as calcífugas em geral.

Argila expandida : Resulta da introdução de argila pura em fornos rotativos, onde a temperaturas elevadas dá lugar à formação de esferas que no seu interior contém milhares de microporos, vulgarmente denominada por Leca. Permite manter a humidade dando uma boa drenagem.

Matéria orgânica

A matéria orgânica é formada por restos de plantas e outros seres vivos, parcial ou completamente decompostos. Normalmente reserva-se o nome de húmus para a parte de matéria orgânica resultante da sua decomposição intensa e que atingiu um elevado grau de estabilidade. Turfa é também matéria orgânica decomposta, mas procedente de turfeiras do norte da Europa cujo processo de decomposição varia entre os 2500 e 10000 anos, tornando-a ácida.

A matéria orgânica:

  • Contém e armazena muitos nutrientes.
  • Permite que os nutrientes sejam absorvidos mais facilmente.
  • Ajuda o solo a reter maior quantidade de água.
  • Dá vida ao solo. Os microrganismos vão buscar à matéria orgânica a energia que necessitam para viver, ao mesmo tempo que libertam nutrientes que as plantas aproveitam.

 

A água e o ar

A água e o ar ocupam os espaços que se encontram entre as partículas minerais e de matéria orgânica ou entre os seus agregados. Estes espaços, de tamanho muito variável, recebem o nome de poros. A água é retida com facilidade pelos poros mais pequenos, o que já não acontece com os grandes, que permitem a sua infiltração rápida.

Um solo fértil, com água nos poros mais pequenos e ar nos maiores, denominada por atmosfera de solo, desempenha um papel importantíssimo no desenvolvimento das plantas, oferecendo um bom ambiente para o crescimento das raízes e para a vida dos microrganismos que vivem no solo.

Todas as plantas necessitam de ar para respirar, pois na sua ausência, estas não poderão crescer. Nestes casos, a água que é utilizada pelas plantas é substituída pelo ar. Com a nova entrada de água no solo, da chuva ou rega, o ar é expulso, a água volta a ocupar os espaços vazios, ficando novamente retida nos poros mais pequenos.



Com base nesta informação, podemos declarar que é possível realizar a nossa mistura para a obtenção de um bom solo para as nossas plantas, tendo em atenção o objetivo, ou seja:

Se quisermos que uma planta cresça para engrossar criamos um solo bem drenante tipo 70% de material inorgânico e 30% de material orgânico.

Ex: 50% de areão e/ou leca e/ou terra vulcânica;

20% de Akadama;

30% de turfa.


Se for um yamadori em que muita vezes o que queremos, inicialmente, é um rápido desenvolvimento de raízes podemos criar um solo ainda mais drenante, pois quanto mais ar circular entre as raízes e menos compacto for, melhor, pelo que podemos fazer uma mistura de 85% de material inorgânico e 15% de material orgânico.

Se for um bonsai já adulto caducifólio ou perenifólio podemos fazer uma mistura 60% de matéria inorgânica e 35% de matéria orgânica pois este tipo de árvores gostam de sentir as raízes húmidas.

Se for um bonsai resinoso em que as suas raízes preferem um solo com menos humidade, então podemos fazer uma mistura com 75% de matéria inorgânica e 25% de matéria orgânica.

Como se pode constatar são muitas e variadas as formas que podemos empregar na execução dos nossos solos consoante o objetivo que se nos depara, sendo que também podemos escolher os mais diversos produtos para produção dos mesmos, com estas ou outras matérias orgânicas e inorgânicas que encontremos.

 

Em Conclusão podemos afirmar que para bonsai, um bom solo tem que ter uma boa capacidade de drenagem e uma boa capacidade de reter nutrientes .